Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

ame arquitetura | July 24, 2019

Scroll to top

Top

No Comments

Restaurante Noma: um sonho de consumo absoluto!

Restaurante Noma: um sonho de consumo absoluto!
amearquitetura

A minha historia com o restaurante Noma é quase trágica… Não, ninguém morreu, não passei mal, nada disto!!! Tudo mundo sabe, que para conseguir (talvez!!se tiver muita sorte!!) a reserva no Noma, é preciso esperar, no mínimo, 3 meses. Pois então, eu tinha conseguido a reserva! Na epoca o Noma era o restaurante numero um do mundo, e ponha numero um nisso! Por três anos seguidos o Noma ficou no topo do prestigiado Prêmio Pellegrino indicado pela revista Restaurant, derrubando El Bulli, um restaurante famoso na Espanha  de Ferran Adrià, que ocupou o primeiro lugar por quatro anos seguidos, até o Noma tomar o pedaço. Engraçado que o chefe René Redzepi, que dirige, o Noma tem apenas 32 anos, foi aluno de Ferran Adrià.

Rene_Redzepi_472732a

Em 2013 o Noma foi para o segundo lugar do ranking, deixando a primeira posição para El Celler de Can Roca, Giron na Espanha.

Voltando a minha historia, posso resumir: perdi um voo de Amsterdam para Copenhagen no dia da minha reserva e acabei perdendo o jantar no Noma… Em vez de jantar com meus amigos no Noma, fui tomar um cafe e comer chocolate holandês num bistro do aeroporto de Shiphol choramingando… Quem foi me contou tudo e tiraram vários fotos. Aqui a matéria completa sobre o restaurante, abordando não so a comida, mas também a arquitetura e decoração da casa.

Unknown

Noma fica em Copenhagen, na Dinamarca, e sua comida é nórdica com um toque contemporâneo. Tem duas estrelas Michelin e é dirigido por René Redzepi, renomado e talentoso aluno do Ferran Adrià. O nome é uma junção das duas palavras dinamarquesas “Nordisk” (nórdicos) e “Mad” (alimento), e é conhecido pela sua reinvenção e interpretação da cozinha nórdica.

O chefe executivo René Redzepi se concentra em produtos regionais, como o camarão do norte, salmão selvagem, algas, frutos locais  e bois-almiscarados. O conceito por trás do Noma é o movimento New Nordic Cusine que foca em criar uma cultura indígena de alimentos especificamente da região Norte em uma inovadora e sustentável maneira. Então, não espere o azeite e outros ingredientes que não são escandinavos, quando você for visitar o restaurante. Ele se recusa a usar o azeite de oliva, foie gras, tomates secos ou qualquer outro ingrediente do Mediterrâneo-chave que têm vindo a dominar haute cozinha nas últimas décadas.

Afinal, a Dinamarca não é a Provence ou a Catalunha. Especialmente para um chef “locavore” – que promove e pratica da culinária com ingredientes locais – isso tem suas limitações. Mas Redzepi conseguiu abrir caminho pesquisando e trabalhando os ingredientes da região . Ele pegou o que mais parecia um fardo e transformou-o em asas, e assim suas conquistas culinárias atraíram muito mais interesse pelo grau de dificuldade geográfica nela contida. “A natureza nos oferece muito mais do que conseguimos imaginar”, disse ele referindo-se ao que pode ser colhido não somente na Escandinávia, mas praticamente em qualquer lugar. Ele parte da premissa de que a contribuição mais especial e inimitável que um restaurante pode fazer é servir a comida mais fresca e mais autêntica de sua parte do planeta, vasculhando a fauna e a flora daquela região para descobrir sabores diferentes, investigando suas tradições esquecidas para encontrar ingredientes que os cozinheiros deixaram de usar (Redzepi trabalha com dois historiadores de comida dinamarqueses!!!).

A comida do chef-patron René Redzepi às vezes pode ser chocante – visceral mesmo – mas ele se esforça para refletir a paisagem e cultura dinamarquesa. Por meio de seu cardápio de aperitivos e numerosos pequenos cursos à sua impressionante variedade de ‘mimos’ que completam a refeição, há sempre pelo menos um prato que faz você se sentir feliz por estar vivo.

Screen Shot 2013-11-29 at 16.05.08O restaurante está localizado em um antigo armazém na margem do rio, no bairro de Christianshavn do centro de Copenhagen.

O edifício está situado junto à Praça de Negociação da Gronelândia, que durante 200 anos foi um centro para o comércio das Ilhas Faroé , Finnmark , na Islândia, e em particular, a Groenlândia. Peixe seco, arenque salgado, óleo de baleia e peles estão entre os bens que foram armazenados em e ao redor do armazém, antes de ser vendido para os mercados europeus. Em 2004, o armazém foi transformado em North Atlantic House , um centro de arte e cultura da região do Atlântico Norte. Noma foi aberto no mesmo ano por Redzepi e Claus Meyer. O interior do restaurante é projetado e posteriormente renovado pelo Espaço Copenhague.

Decor antigo:

Screen Shot 2013-11-29 at 15.57.01

Os designers substituíram os tons marrons do interior original com tons de preto e cinza suaves e também trocaram as mesas e cadeiras com os da coleção Ren da marca Stellar Works.

Decor novo:

dezeen_Noma-Restaurant-by-Space-Copenhagen_3

Casacos de pele pendurados sobre as cadeiras têm acrescentado o aconchego do restaurante.

dezeen_Noma-Restaurant-by-Space-Copenhagen_ss_5 “Sentimos uma grande importância em proteger o equilibrio de simplicidade e a elegância”, explicam projetistas Peter  Bundgaard Rützou e Signe Bindslev Henriksen. “Foi muito sobre o uso de materiais orgânicos como madeira, pedra, couro, latão e  materiais que envelhecem muito bem ao longo do tempo.”

dezeen_Noma-Restaurant-by-Space-Copenhagen_1sq

Um novo piso em carvalho percorre todo o restaurante, enquanto um novo muro define o espaço no salão e o bar é reconstruído usando madeira escura e latão.

dezeen_Noma-Restaurant-by-Space-Copenhagen_2

“A mudança mais radical foi o redesenho da área do salão”, disse Bindslev Henriksen, antes de explicar como a renovação dá uma sensação Nordic design mas mais aconchegante. Citando as palavras de chef e proprietário Rene Redzepi, ela disse: “É como se o restaurante mudou-se mil quilômetros ao norte.”

dezeen_Noma-Restaurant-by-Space-Copenhagen_9

A decoração de Noma é a cruzada entre os mundos da comida e design.

dezeen_Noma-Restaurant-by-Space-Copenhagen_6

Peter  Bundgaard Rützou e Signe Bindslev Henriksen;

” A renovação completa aconteceu enquanto a equipe NOMA estava em Londres durante os Jogos Olímpicos , deixando-nos um período total de trabalho de menos de três semanas . Tempo era um desafio em si, mas também o fato de que o NOMA está localizado em um antigo edifício do armazém apresentou uma série de restrições.

Trabalhando com NOMA por tantos anos se criou um respeito mútuo e compreensão , tanto do espaço quanto a mentalidade , os valores e as preferências de todas as pessoas envolvidas. Isso faz com que o diálogo e a comunicação flui muito fácil, o que é sempre muito valioso para um processo criativo . Mas no começo todos nós pensamos que NOMA deveria ser virado de cabeça para baixo, que devemos fazer algo completamente novo e inesperado. Depois de um período inicial de esboç, todos nós chegamos à conclusão de que o projeto novo pareceu forçado e pretensioso para um lugar como NOMA. Rene Redzepi definiu sua visão : é importante que o espaço não seja percebido como uma camada superficial entre o cliente e a experiência real de alimentos.

Decidimos respeitar e proteger o ambiente existente de NOMA , mas trabalhar com cuidado com o espaço e elementos funcionais em termos de detalhamento, superfícies tácteis , cores, um equilíbrio entre o áspero e o detalhes refinados com elegância.

Nós construímos uma parede de tijolos no salão e mudamos todo o piso para um piso de carvalho de Dinesen, o que fez uma diferença enorme na atmosfera. Além de não fazer um monte de construção no local que muda quase nada.

Todos os móveis , as superfícies , cortinas, superfícies pintadas , banheiros foram completamente alterados ou renovados. Especialmente a sala passou por varias mudanças. Nós construímos uma parede de tijolos para obter um espaço de estar mais definido , e a longa barra maciça foi substituída por elementos espaciais em madeira cinza e bronze montados nas colunas que criou um fluxo completamente diferente e abertura da espaço incrivel.

As cadeiras e mesas no restaurante são do mesmo design como no Noma original, mas nós mudamos as superfícies e cores. A cadeira é de JL Møller permaneceu. Mas no salão mudamos todo o mobiliário usando a marca Ren Chair  projetados especialmente para o Noma em colaboração com Stellarworks”.

dezeen_Noma-Restaurant-by-Space-Copenhagen_8

  Ficou lindo e exatamente como René Redzepi esperava!

Screen Shot 2013-11-29 at 02.10.15

E posso só complementar dizendo que eu ainda vou conseguir de novo a minha reserva no Noma e desta vez não perco o voo por nada!!!

Viva Noma e as experiencias de vida incriveis!

Submit a Comment

Or